quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Notas de Viagem - BH - Parte II


A fim de matar saudades dos amigos, fugir um pouco dos problemas e espairecer, viajei no fim de semana. Fui a BH com o firme propósito de me divertir - e consegui. Como toda sapa que se preze, tenho um melhor amigo gay, que mora lá e me hospedou. Nossas conversas são puro sarcasmo e eu lamento não ter andado com uma caderneta para anotar todos os diálogos engraçados - como esses:

No ponto de ônibus

Amigo Gay da Capital - aka Chapeleiro Louco:
- Você sabia que tinha um distrito em Minas chamado Cacete Armado?

Alice:
- Ahahahahahahah! Mentira sua!

Chapeleiro Louco:
- Não, é verdade. Depois foi emancipado e trocou de nome.

Alice:
- Que engraçado!

Chapeleiro Louco:
- Eu ficava pensando: quem nasce em Cacete Armado é o quê?

(pausa)

Alice:
- Esperma?

----------------------------------------------------------

No shopping

Chapeleiro Louco:
- Você sabe jogar gamão?

Alice:
- Não, mas sei jogar xadrez. Gamão é legal?

Chapeleiro Louco:
- Sim, eu aprendi com uma amiga e agora estou viciado. Eu queria um tabuleiro de gamão de presente de Natal, vou pedir à minha mãe. Eu vi um de couro de porco lindo!

Alice:
- Eu não me sentiria muito à vontade em jogar gamão num tabuleiro de torresmo...

----------------------------------------

No shopping

(Chapeleiro louco diz algo que irrita Alice.)

- Ai, Chapeleiro, vai tomar no kuh!
- Agradinho, não!

Mais tarde, no mesmo shopping

(Alice diz algo que irrita Chapeleiro)

- Ai, Alice, vai chupar um pau!
- Não gosto de paus.
- Eu sei, nada de agradinho para você!

----------------------------------------

Entrei no banheiro do shopping e - viva! - tinha lugar para pendurar a bolsa.


Acho digno Arquiteto que projeta banheiro com suporte para bolsas.
Obrigada, Arquiteto do Diamond Mall!

----------------------------------------

Alice e Chapeleiro Louco posam com suas lindas almofadas "Alice no País das Maravilhas", brindes do shopping depois de uma tarde consumista com estouro de cartões de crédito.


----------------------------------------------------------------------------------------------

Infelizmente, por problemas de logística, não consegui encontrar com a gracinha da Universitária da Capital. Tenho certeza que teria sido muito divertido se ela tivesse se juntado a nós. Espero ter mais sorte da próxima vez.

8 comentários:

Marcia Paula disse...

Alice,vejo que você está em boa forma,parabéns.Minha namorada me acha "fru-fru" só por que não sei andar sem bolsa,pode?Quando ela fica zangada costuma soltar uma deliciosa "boceta" no ar,já cansei de explicar pra ela que isso é elogiar alguma coisa e não tentar ofendê-la.Beijos e adorei o lance dos agradinhos...

manicomiomundo disse...

Nossa,que divertido.
Queria fazer uma viagem assim.

Marcia Paula disse...

Alice,

Na verdade me referia à sua estrutura física,digamos...hum!(como eu costumo dizer o conjunto da obra)
Agora,quanto ao seu texto sempre esteve o máximo.Beijos!

Marcia Paula disse...

Alice,

Quase ia me esquecendo.O fator complicador X não tem cura,mas se encontrar por favor,me avise com urgência.Meus contos quase nada têm da minha vida pessoal,mas confesso que também sou portadora desse fator:(

diariodeumaposadolescente disse...

amigo gay é o que há!!!!!

e bloquinho na mão ou na bolsa tb!

Alê lobo disse...

Choreeeeeeeeeei de rir com os diálogos!
Obrigada pela visita, querida! E se quiser ser iniciada no clã das pererecas voadoras, é só nos contatar, que daremos o passo-a-passo para a iniciação, rsrsrsrs (essa foi criada ontem...;-))

Bêjos!
Alê

M. disse...

Hauhauhauhauahu
Alice, teus diálogos não existem!
Começe a andar com a tal cadernetinha porque a gente não quer perder nenhuma dessas pérolas!

Águeda Macias disse...

Acho que ando falhando no quesito melhor amigo gay. Tenho alguns, mas tá faltando aquele "para todas as horas"...

Também adoro banheiro com pendurador de bolsa, acho a coisa mais burra do mundo esquecerem disso! =D