segunda-feira, 28 de setembro de 2009

O que você vai ser quando crescer?


Entramos eu e a Namorada em uma loja de brinquedos para vermos o preço de um jogo. Aí aproveitamos para olhar as novidades e matar as saudades da aurora da nossa vida, da nossa infância querida que os anos não trazem mais. E eu comecei a perceber o quanto os brinquedos de menino são mais atraentes que os de meninas. Naves espaciais, super heróis, carrinhos de controle remoto, blocos de montar e mil traquitanas para estimular a criatividade dos garotos, embalados em caixas coloridas e atraentes.

Quando chegamos à seção das meninas, veio o primeiro susto: era TUDO rosa. TUDO! Quando não era a caixa em si, pelo menos o logotipo era rosa. Aquilo já me incomodou: meninas não podem gostar de outras cores? Que tédio!

Mas o pior ainda estava por vir... Não bastasse o rosa idiotizante, todos os brinquedos ali ensinavam a menina ser... DONA DE CASA! Tanta coisa divertida para uma criança fazer e a garotinha tem que se divertir em cozinhar e lavar roupa? Quanta maldade!

Quer aprender a lavar louça? Tem a Pia Mágica SUPER:


Prefere uma cozinha completa? Então leva o trio Refrigerador Duplex, Lava-louças e Fogão:


Quer fritar ovo? Tem a Super Cozinha Maluquinha (maluquinha é quem inventou isso!) ou a Cozinha Legal (legal é quem não compra isso para a filha):



E esse aqui? Meu Primeiro Fogão! Tinha que ser minha primeira Ferrari, meu primeiro terninho Armani, meu primeiro milhão... Mas primeiro fogão? Isso é sacanagem!

Mas o melhor de todos para mim foi esse:


TÁBUA DE PASSAR! Isso lá é coisa que se dê para uma menina brincar? Passar roupa é a coisa mais chata ever, e fazer uma menina se divertir com isso deveria ser crime hediondo!

Pelo menos as bonecas Suzi salvaram o dia: porque trabalham – tinha DJ e Aeromoça* da TAM – e porque se cuidam e sabem aproveitar a vida – tinha também a Suzi que malha e a que se joga na balada.


Como vamos estimular a inteligência das meninas assim? Enquanto os garotos ficam lá queimando neurônios para montar seus Legos, as garotas matam os delas de tédio de tanto fazer comidinha.

Acho que tenho lido muito o blog da Marjorie Rodrigues, ando com muitas idéias feministas fervilhando na cabeça...

* Tá, eu sei que agora o certo é Comissária de Bordo, mas eu acho Aeromoça mais charmoso...

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Veever a Vyda


Rainha de Copas diz:
Ela vai dar testemunho pra Veever a Vyda.
Que massa, né?

Alice diz:

Que máximo!
Vocês sabem quando vai passar?
(Esse Veever a Vyda também eu vou roubar).

Rainha de Copas diz:
Não sei, mas a gente vai tirar fotoca amanhã.

Alice diz:
Muito legal!
Tô vendo a novela só por causa da Bárbara Paz.
Atóóóóóroooon

Rainha de Copas diz:
Ela também não sabe direito.
Mentiraaaa!
A mulher da boca torta? Fala sério!

Alice diz:
Ela tá hilária, cara

Rainha de Copas diz:
Só tá nessa novela porque tá dando pro Hector Babenco.

Alice diz:
De bêbada, toda canastrona.
Heleninha Roitman 2.

Rainha de Copas diz:
Será que a Globo vai descobrir meu talento?
Vou roubar o papel da Aleeny Moraesh.

Alice diz:
Dando gargalhada aqui!
Vai roubar da Taysh Arawju, isso sim!
Sua sósia.
Uahuahauhauah

Rainha de Copas diz:
Ahahahahah
Massaaaaaaaaa!

Alice diz:
Isso vai pro blog!
Uahauhauh

Rainha de Copas diz:
Quem dera se eu estivesse magra daquele jeitoooooo!
Vai simmmmmmmm!
Auhauhauhauahuah
E pegando o Zé Mayer (eu amo ele)!

Alice diz:
Jura? Você dava pra ele?

Rainha de Copas diz:
Se dava!
Uau!
Atóron ele.

Alice diz:
Hahaahahah

Rainha de Copas diz:
Canalha, me dando uns tapas...
Ai aiaiaiaiaiaiaa
Ovulo!
Umydificoooo.

Alice diz:
HUAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA

sábado, 19 de setembro de 2009

Preconceito bem passado - II


(continuação)

Em determinado momento, A Sogra comentou, num tom de desprezo, que a Amiga da Faculdade havia dito a ela que o Chapeleiro Louco, que era da nossa turma, havia se assumido e era mesmo o que se pensava, e que agora ele vivia “daquele jeito”.

Eu quase perguntei: Que jeito, minha Senhora? Jeito honesto de quem tem curso superior e Mestrado, acabou de passar em um concurso público concorrido e ganha um salário na faixa de R$ 7.000,00 porque fez muito por merecê-lo? Jeito de um cara divertido e inteligente, que já morou no exterior por 8 meses e tem uma puta cultura geral? É esse o “jeito” a que a Sra. se refere? Obviamente que eu não queria polemizar e só pensei nisso tudo. Mais uma vez uma pessoa fora reduzida à sua vida amorosa e todo o resto havia sido deixado de lado.

Para finalizar, ainda fui obrigada a ouvir piadinha machista do colega de faculdade do Marido da Amiga, lembrando da época em que estudavam juntos:
- Aí eu falei, Marido da Amiga, esse aí gosta, né? E o Marido respondeu, Não, esse não gosta. Não gosta?, eu perguntei. Ele respondeu, É, não gosta que tirem de dentro! Hahahahahahahahah!

Riram todos, felizes e contentes com a piada homofóbica. Terceira vez que eu me incomodava com o machismo e o preconceito naquele ambiente. Já era o bastante para mim. Fui embora, desanimada em ver o quanto a nossa sociedade ainda tem que evoluir até aprender o valor do respeito com os outros seres humanos, sejam eles gays ou não, casados ou solteiros.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Preconceito bem passado - I


Sábado fui a um churrasco na casa de uma colega de faculdade que voltou para a cidade este ano. Ela é casada com um profissional da área de saúde há oito anos e acaba de ter seu primeiro filho. Aceitei o convite por pura educação, pois nunca fomos tão próximas quando estudávamos e eu imaginei que me sentiria deslocada em um ambiente 100% hétero, somente com “casados-desconhecidos-e-seus-filhos”. Não estava errada em minha avaliação.

Logo ao chegar, fui apresentada à sogra dela, que, antes de saber sequer o que eu fazia da vida, disparou a pergunta à queima-roupa:
- Você é casada?
- Não, respondi.
Ignorando a resposta, disparou outra na seqüência:
- Já tem filhos?
- Não, respondi, seca, novamente.

Aquilo me incomodou demais, por dois motivos: primeiro, porque se eu fosse homem ela JAMAIS me perguntaria isso. Pergunta-se a um homem o que ele faz da vida, para que time ele torce, qual carro ele dirige ou qualquer outra bobagem relacionada ao universo masculino, mas nunca é importante se ele é casado ou tem filhos. Não existe essa pressão do casamento sobre eles. Homens são livres para ser o que quiserem, ao contrário das mulheres, que são obrigadas pela sociedade a exercerem seu papel de esposa/dona-de-casa/mãe.

Segundo, incomodou porque, durante toda a conversa que fui obrigada a ter com ela durante o almoço, em momento algum ela se interessou pelo meu trabalho, pela minha formação ou pelos meus interesses. Espera-se que as mulheres tenham como meta de vida casar e ter filhos e todo o resto de suas realizações pessoais é ignorado.

Claro que isso foi só começo do festival de preconceitos do dia.

(Continua...)

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Sapataria Arezzo


A essa altura, vocês já devem ter visto a nova campanha da coleção primavera-verão da Arezzo. Também, como ficar indiferente à cena deliciosa de Cleo Pires e Juliana Paes se pegando na piscina? Achei tão oportuna essa associação de sapataria com cenas sapas! Seria mensagem subliminar?


Quando assisti aos vídeos de making of, fiquei morrendo de medo de a peça ficar brega ou apelativa. Ou o contrário: de cortarem as melhores imagens e deixarem a coisa toda com aquela cara de “somos amigas e nadamos juntas com nossas sandálias incríveis”. No entanto, para minha surpresa, quando finalmente vi o anúncio na revista, gostei bastante do resultado. Achei as cenas delicadas e sensuais, e fiquei feliz de a empresa ter arriscado tanto a sua imagem desse jeito.

Nós gays sempre reclamamos que somos excluídos da mídia, especialmente no que se refere a programas de TV e anúncios. Agora que se lembraram de nós, acho que merecem um elogio, não? Até porque deve ter um monte de homofóbico-chato-careta metendo o pau, e nós não queremos que a Arezzo ache que teve uma má idéia em colocar aquelas duas gatas se insinuando dentro d’água, queremos? Vai que na próxima campanha ela põe a Cleo se esfregando num Cauã Reymond da vida? Cruzes! Então faça a sua parte, sapa! Manda um e-mail bem fofo para eles aqui, manda! Eu já mandei o meu.

Utilidade pública:

Vídeo do making of, 2 minutos para vocês se deliciarem:

video

A campanha está aqui.

E se você está cansada daquele fundo de tela de morro verde com céu azul do Windows, tem wallpapers aqui.

______________________________________________________________
Este post não é patrocinado pela Arezzo (não me dariam nem uma sandália pelo meu texto!), mas é que eu realmente achei a iniciativa da empresa muito legal.


quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Quantas sapas existem nessa lagoa?

E não é que o IBGE finalmente descobriu que há casais gays no Brasil?

Resolveram nos contar no Censo de 2010, gente!

"União gay

O novo questionário do IBGE abriu espaço para que entrevistados digam se são casados com pessoas do mesmo sexo.

'Não havia uma pergunta explícita no questionário e ficava difícil depois tratar a informação. Mas, que fique claro, não estamos investigando a questão sexual da população', explicou o gerente técnico de censo demográfico, Marco Antônio Alexandre."

Achei muito válida a iniciativa. Mostrando que existimos, e somos muitos, fica mais fácil exigir nossos direitos e cobrar por mais igualdade perante a lei.

Então, sapa, nada de esconder a sua esposa quando o moço do Censo bater à sua porta, hein?

- Rosicleide, corre para debaixo da cama, o Recenseador chegou!

Ao invés disso, diga em alto em bom som para o IBGE saber:

Tenho uma esposa!


______________________________________
A notícia completa pode ser lida no G1 aqui.