quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Notas de viagem - BH - Out/10 - Parte II


(Continuação)

Já que a The L estava fechada, fomos beber algo no “2010”, um bar à meia-luz aconchegante, de música suave e público selecionado.

Chapeleiro me disse que todo ano o bar troca de nome, adotando o número do ano. Achei graça e pensei que ele estivesse me pregando uma peça, tipo aquela coisa esperto-da-Capital-engana-a-bobinha-do-interior. Duvidei, porque achei absurdo, mas ele não se rendeu – perguntou à Garçonete na minha frente se não era verdade. Ela confirmou e disse que no réveillon eles sempre faziam uma festa de reinauguração para isso. Achei genial.

Percebi que havia um casal gay sentado na mesa atrás de meu amigo. Quando Chapeleiro se levantou, eu observei um dos rapazes e o achei absurdamente parecido com um ex-peguete de um amigo meu. Fiquei pensando, seria ele mesmo? A dúvida foi desfeita rapidamente: ele usava a mesma pulseira Armani Exchange ENORME e absurdamente brega de quando eu o conheci. Bingoooooooo!


Domingo


Fomos ao Café com Letras, um misto de restaurante, bar, café e livraria. Local gay friendly, ponto de encontro obrigatório antes da balada na Josefine, boate ao lado. Comi um sanduíche de filé com tomate confit di-vi-no!

Havia um casal muito fofo ao nosso lado: ela, mulata, cabelo cacheado, corpo escultural; ele, louro, olhos claros, pele muito branca e um nítido sotaque de estrangeiro. Ambos jovens, lindos e muitíssimo bem vestidos, chiques ao máximo bebendo vinho tinto. Comentei com Chapeleiro:
- Acho o máximo esses casais improváveis, esse contraste. O amor torna a humanidade muito mais interessante com essas misturas.

O mais engraçado foi quando os pedidos chegaram: uma salada e um sanduíche enooorme com fritas. Salada para ela e sanduíche para ele, certo? Bem, o Garçom também pensou assim, mas era o inverso: a comilona era ela! Achamos muita graça do fato.

Era cedo e eu não queria ir para casa, mas meu amigo trabalharia no dia seguinte. Então ele me deixou na fila da boate para esperar pelos amigos dele, que me fariam companhia lá dentro. Na fila...

(Continua)

8 comentários:

Anônimo disse...

uai, demora não

Huntress disse...

Um dia ainda vou conhecer BH, parece ser uma cidade muito foda.

Escaminha disse...

Tá indicando ago nessa balada hein!

Fernanda disse...

Ah, saudade de BH. Tem um bar lá que normalmente vou com a namo, chama-se estudio da carne. Pena a The L estar fechada espero a encontrar aberta no feriado.

Beijos

»»Luh«« disse...

Alice, estarei de 03 a 05/11 em BH e pode ter certeza, estou anotando cada lugar que vc está indicando... Mesmo que vc não esteja lá, está sendo minha guia turística virtual... rsrs...

Depois te conto como foi!!!

Ah! Antes que eu esqueça... minha namorida é mineira, mas é de far far away... rsrs... Cidade chamada Montalvânia, bem no Norte de Minas gerais, na divisa com a Bahia, então, infelizmente ela não teria tantos locais assim a indicar!

Beijocas da Luh

Alice disse...

Luh, os lugares onde fui são muito bons, recomendo todos. A Josefine também vale a visita, a boate é legal, mas lá não é gay todo dia, informe-se sobre a programação. Não deixe de ir também a algum shopping bater perna: BH Shopping, Diamond Mall ou Pátio Savassi. Divirta-se na capital. Beijos!

»»Luh«« disse...

Opa!! Obrigada pelas dicas... podexá que vou me certificar antes de ir!!

Beijocas e bom final de semana!

Dalyn disse...

Bh é um lugar muito massa.